Rio Maior: onde a água é 7 vezes mais salgada do que no mar!

Nada de praia, palácios, castelos ou parques. Neste post sobre Portugal vamos falar sobre um lugar bastante curioso, as Salinas de Rio Maior ou Salinas da Fonte da Bica, como também conhecidas como conhecidas. Localizada em meio à área protegida do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, na zona Oeste do país, as Salinas são, atualmente, a única “salina interna” em funcionamento no mundo.

Denomina-se “salina interna” pois a água salgada não é encontrada à beira-mar, como normalmente acontece mas, sim, há cerca de 30Km de distância. É exatamente esta a primeira dúvida que surge quando chegamos para conhecer o lugar e também, um dos motivos que faz com que o lugar seja interessante!

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Sobre as Salinas de Rio Maior

A primeira coisa que chama a atenção ao chegar nas Salinas é a placa indicando que o lugar está em funcionamento desde 1177. Mas, depois de ouvir a explicação do guia local você ficará ainda mais surpreso em saber que o aproveitamento do sal-gema ocorria, de fato, desde a Pré-História e mais, que a água encontrada ali é simplesmente 7 (sete) vezes mais salgada que a água do mar. Incrível não é?

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Mas o que é o sal-gema? Como é possível encontrar água salgada a uma distância tão grande do mar?

A explicação para a existência de água salgada é o fato de que a Serra dos Candeeiros – local onde se encontra as salinas – fora, outrora, mar. Por este motivo, o solo da região possui inúmeras falhas o que faz com que as águas da chuva não fiquem na superfície e acabem formando cursos de água subterrâneos.

Estes cursos de água subterrâneos, por sua vez, atravessam uma extensa e profunda jazida de sal-gema, formada há milhões de anos, depois do recuo do mar. O Sal-gema é esta pedra – composta de Cloreto de Sódio, acompanhado de Cloreto de Potássio e Cloreto de Magnésio – que você pode visualizar na foto abaixo.

Salinas de Rio Maior (Portugal)

A Jazida de sal-gema é muito grande, ocupando uma área de aproximadamente 100km, entre Leiria e Torres Vedras. A corrente de água que atravessa a jazida alimenta o poço que se encontra no centro das Salinas e é assim que se torna possível extrair água salgada em uma região tão afastada do mar!

O processo de exploração e produção do Sal*

De forma bem simples, o primeiro passo no processo de extração do sal é a retirada da água do poço por meio de uma moto-bomba. Depois disto, a água é distribuída nos 8 (oito) tanques, chamados de concentradores, que têm capacidade para 1 milhão de litros de água. Nos concentradores, a água sofre uma primeira evaporação.

Depois a água é distribuída pelos talhos – pequenos compartimentos feitos de cimento ou de pedra, de tamanho variado e pouco fundos – onde ocorre a evaporação. O processo demora entre três a seis dias, dependendo da temperatura. O sal, então, é rapado com pás e posto na eira (uma espécie de tábua de madeira) para secar durante 60 horas.

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Na figura abaixo, tentamos simular as etapas de evaporação. Perceba que no início (1), quase não há sal mas, aos poucos, a água vai evaporando e surgem as flores de sal (2). Com a ação do sol e do vento, o sal vai ganhando uma consistência mais sólida e uniforme (3 e 4).

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Esta técnica é utilizada desde o século XII. Uma vez que o sal esteja seco, ele é transportado para a Cooperativa local ou para os armazéns dos salineiros particulares, ensacado e vendido. Um dos grandes consumidores do produto extraído nas Salinas de Rio Maior é a Alemanha, responsável pela compra de cerca de 90% da produção.

É importante lembrar que o sal produzido não leva qualquer aditivo ou tratamento químico. Sua pureza deve-se à ação da natureza (sol e vento) e ao trabalho do salineiro!

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Salinas de Rio Maior (Portugal)

Onde fica e como chegar às Salinas de Rio Maior?

Localizada no Concelho de Rio Maior, as Salinas ficam bem perto de Lisboa, 75Km, e é uma ótima opção de bate-e-volta a partir da cidade. O complexo faz parte do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

De carro:

A partir de Lisboa, siga pela A1 em direção ao Norte do país (Porto). Depois de aproximadamente 50Km, pegue a N366 e siga as placas para Rio Maior. O pedágio custou 2,50 euros.

De ônibus:

A empresa Rede Expressos faz o trecho Lisboa/Rio Maior. A duração da viagem é de 1h15 e o valor é de 9,50 euros.

Você pode aproveitar a viagem, também, para conhecer algumas das vínicolas da região. Nós estivemos lá e aproveitamos para, curtir um pouco da natureza do Parque, também. Confira como foi nossa visita no artigo Salinas de Rio Maior: um passeio que inclui natureza, cultura e vinho!

Gostou desta dica, então compartilhe com os amigos! E, se puder, clica nas estrelinhas aí embaixo, linha verde, e avalie nosso trabalho. Sua opinião é importante para nós! 😉

*Fonte: Cooperativa Agrícola dos Produtores de Sal de Rio Maior

Submit your review
1
2
3
4
5
Submit
     
Cancel

Create your own review

Average rating:  
 0 reviews
Marlise V. Montello

Marlise V. Montello

Marlise V. Montello é jornalista e, há algum tempo, decidiu escrever sobre uma de suas paixões: viagens. O objetivo é ajudar aqueles que, como ela, sempre que podem arrumam a mochila e colocam o pé-na-estrada em busca de novas descobertas. Seus roteiros preferidos são aqueles que oferecem contato com a natureza, com a gastronomica e com a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *