Low Cost: para quem quer viajar muito, gastando pouco!

Há algum tempo – nem tão distante assim – viajar de avião era privilégio de poucos. Mas, nos anos 90 começaram a surgir, principalmente na Europa, as companhias aéreas de baixo custo, também chamadas de “Low Cost” ou “Low Fare” (baixo custo / baixa tarifa). Estas companhias são caracterizadas, como o próprio nome diz, por oferecerem custos bem menores do que as companhias aéreas tradicionais.

  • Low fare: os custos menores são repassados ao consumidor, gerando as tarifas baratas;
  • Low Cost: baseia-se nos custos operacionais da empresa que, não necessariamente são repassados para o consumidor. 

A Gol – fundada em 2001 – foi a primeira companhia a aplicar o conceito “low cost, low fare” no Brasil. Inspirada na empresa americana Southwest Airlines, a empresa trocou as refeições por barras de cereais e praticou preços bastante baixos nos primeiros anos.  Quem não se lembra dos voos por apenas R$ 50,00. Hoje, infelizmente, as tarifas mais baixas são encontradas somente durante as promoções. Mesmo assim, “a empresa continua sendo considerada de baixo custo (low cost) pois ela só opera com uma família de aviões (B737NG), o que reduz custos de manutenção, operação, etc”*.

Companhias aéreas Low CostAinda dentro do conceito low cost, temos a Azul, cujo dono é o mesmo da americana JetBlue Airways.

Mas, se por um lado, as empresas aéreas de baixo custo oferecem bilhetes bem mais baratos, por outro lado, elas deixam de oferecer alguns serviços que as outras oferecem como, por exemplo, escolha de assento, comida e bebida ou mesmo bagagem despachada.

Além disso, em geral, os aeroportos utilizados por tais companhias são os mais distantes dos centros das cidades. Por isso, ao comprar bilhetes por uma empresa aérea low cost, preste muita atenção em todos os detalhes, para evitar aborrecimentos na hora de viajar.

Na Europa, nós já viajamos diversas vezes pela EasyJet e nunca tivemos problema. A empresa sempre foi pontual e o serviço oferecido é bom. Porém, todo e qualquer “luxo” é pago à parte. Por exemplo, em geral só temos direito a uma bagagem de mão. Para levarmos uma mala um pouco maior e despacharmos, temos que pagar um valor extra por isso. O mesmo ocorre se quisermos selecionar os lugares na aeronave.

Relação das companhias aéreas low cost

Quer saber quais são as principais empresas aéreas consideradas de baixo custo nos diversos continentes? Confira nos posts abaixo:

 

*Informação repassada por um de nossos leitores Davi Zuca.

 

Marlise V. Montello

Marlise V. Montello

Marlise V. Montello é jornalista e, há algum tempo, decidiu escrever sobre uma de suas paixões: viagens. O objetivo é ajudar aqueles que, como ela, sempre que podem arrumam a mochila e colocam o pé-na-estrada em busca de novas descobertas. Seus roteiros preferidos são aqueles que oferecem contato com a natureza, com a gastronomica e com a arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *